< voltar

Notícias do Mercado

Empresa que se moderniza diminui burocracia


25/03/2015 - Fonte: segs.com.br

Existem momentos na trajetória de qualquer empresa ou negócio que, a despeito de qualquer grau de resistência, mudanças devem ser adotadas, principalmente quando se trata das adaptações tecnológicas.

Um marco nessas transições para o mundo eletrônico é o SPED, Sistema Público de Escrituração Digital, adotado pelo Governo Federal. Seus subprojetos, como a Escrituração Contábil Digital (ECD), Escrituração Fiscal Digital (EFD) e Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), estão desafogando gargalos burocráticos que tanto atrasaram a rotina das empresas e profissionais liberais, principalmente da área de contabilidade.

Depois da adoção da certificação digital, muitos avanços ocorreram no perfil operacional entre as empresas e órgãos governamentais. Quem adota o e-CNPJ, consegue realizar uma infinidade de obrigações fiscais e jurídicas de modo seguro pela internet (Confira modelos desse tipo de documento nesse link).

A versão eletrônica do CNPJ tem a mesma validade jurídica do documento oficial e é o meio de acesso aos portais como o e-CAC (Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte). Com ele as empresas podem receber e enviar informações à Receita Federal e cumprir com mais agilidade todos seus encargos e responsabilidades, como o acompanhamento da situação fiscal da empresa, impressão de Darf, além da validação de assinaturas da Receita Federal Brasileira para outros documentos eletrônicos, entre outros serviços.

Outra atividade da empresa que ganha com as operações eletrônicas são os Recursos Humanos. O Conectividade Social, canal online de relacionamento entre a Caixa Econômica Federal e empregadores, permite que os compromissos previdenciários também sejam realizados e acompanhados pelo simples acesso ao portal. Todos os arquivos gerados pelo SEFIP (Sistema de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social) são diretamente transmitidos do computador da empresa para a Caixa.

Mesmo diante dessas facilidades, há quem ainda ainda relute em adotar o sistema de certificação digital, seja pela falta de familiaridade com as operações e transações online, ou até mesmo pelo investimento necessário para o uso da ferramenta.

No entanto, tarefas cotidianas que são desburocratizadas geram ganho de tempo para funcionários, gestores e prestadores de serviços. Como a produtividade não pode custar caro, as transições para ferramentas eletrônicas devem ser reavaliadas e consideradas em curto prazo.