< voltar

Notícias da QualiSign

Seleção de Desbravadores - QualiSoft é destaque na revista CIAB FEBRABAN de Abril/2013

Empresas se valem do Espaço Inovação para realçar o brilho de suas criações e ampliar negócios


09/05/2013 - Por Danilo Gregorio - Revista CIAB FEBRABAN 04/2013

Da fábrica do município de Santa Rita do Sapucaí, na região apelidada de Vale da Eletrônica, no sul de Minas Gerais, mais de 2,5 milhões de tokens foram despachados para o Bradesco.

Quando decidiu debutar no Ciab, em 2008, a BR Token não imaginava que venderia tanto em tão pouco tempo. Com alguns meses de existência, apenas quatro profissionais e nada mais do que uma solução inovadora - um token capaz de capturar dados da tela do computador -, era uma típica startup. Cinco anos depois, a BR Token está em outro patamar: ampliou seu time para 44 pessoas, conquistou clientes no Brasil e no exterior e chega a faturar entre R$ 10 milhões e R$ 12 milhões por ano somente com o token SafeSIGNATURE, fonte de 70% da receita total.

César Lovisaro, cofundador e diretor comercial da BR Token, não tem dúvida de que o sucesso foi impulsionado pelo Espaço Inovação, vitrine de estreia no Ciab. “Começamos a ser olhados não só como uma empresa que estava passando, mas que veio para ficar”, diz. Desde 2005, quando foi montado pela primeira vez, o Espaço Inovação coleciona histórias similares. Negócios nascentes chamaram a atenção da indústria financeira e cresceram contando com essa divisão do Ciab, dedicada a mostrar soluções inovadoras e concebidas por empresas com faturamento bruto anual de até R$ 7 milhões.

Grupo seleto

Para fazer parte desse grupo privilegiado – o espaço é limitado a 24 expositores -, o produto ou serviço deve ser inscrito pelo site do Instituto de Tecnologia de Software (ITS, no www.its.org.br) e passar pelo crivo de uma banca formada por entre 15 e 17 pessoas e coordenada pelo ITS. “Alguns membros dessa comissão são indicados pela Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), e um ou outro pelo ITS, dentre professores de universidades, consultores e especialistas do setor de finanças”, explica Descartes de Souza Teixeira, coordenador da comissão avaliadora. “Cada produto recebe uma nota, que considera aspectos como usabilidade, a plataforma utilizada e a aderência a interesses e prioridades do setor financeiro”, explica Teixeira. Os eleitos não precisam pagar pela área da exposição. Apenas fornecem ajuda de custo para a organização do espaço, que envolve a prestação de serviços como produção de catálogos, divulgação e logística. Além da oportunidade de exibir seus inventos, os selecionados podem acabar levando uma placa com o título de melhor ou mais inovadora solução, a partir de uma votação de jurados apontados pela FEBRABAN.

Mudando de tamanho

São várias as empresas que, após o “estágio” no Espaço Inovação, partiram para o próximo nível, o do Espaço Empreendedor, dirigido a expositores com receitas de até R$ 12 milhões ao ano.

Uma delas é a QualiSoft Informática, presente nas edições de 2005, 2006, 2007 e 2009, e expositora assídua do Espaço Empreendedor desde 2010. “Praticamente todas as nossas soluções (do portfólio atual) para o mercado financeiro passaram pelo Espaço Inovação”, salienta Waldemar Felippe, fundador e diretor executivo da empresa. Dentre elas, destacam-se um software que processa transações financeiras originadas nos mais diversos canais de atendimento, atualizando o saldo da conta em tempo real; e um sistema de compensação eletrônica de cheques, que, mesmo não tendo continuidade comercial, foi escolhido o melhor do Espaço Inovação de 2009.

No lugar certo

“O mercado financeiro é o que mais cresce na QualiSoft e já responde por 40% das nossas receitas”, diz Felippe. Ele nota que os bancos representam 80% dos usuários de seu portal www.documentoeletronico.com.br, que permite a assinatura digital e na gestão eletrônica de contratos e documentos. “Ter a maior parte dos nossos clientes formada por bancos é uma vantagem, pois o setor está sempre na vanguarda quando o assunto é tecnologia, buscando formas de aumentar a produtividade e exigindo, consequentemente, inovação.”