< voltar

Notícias do Mercado

Biometria e Certificação Digital avançam para mudar a vida das pessoas


26/08/2016 - Fonte: Segs

O uso crescente da biometria para identificar as pessoas em muitos segmentos e no acesso a bancos e serviços públicos é visto pela Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD) como um grande avanço para o segmento da certificação digital no Brasil. “Aos poucos e gradativamente a digitalização de informações biométricas está permitindo armazenar essas informações que facilitarão a vida de todos. Esse movimento é realizado tanto pelos órgãos estaduais de identificação, que emitem os RGs, como pelo TSE, que emite o título de eleitor, seguido de bancos que utilizam a informação biométrica para acesso aos caixas eletrônicos”, comenta Antonio Cangiano, diretor-executivo da ANCD.

Segundo ele, todo esse avanço ainda precisa de cuidados para uma melhor segurança. “Nesse sentido, a ICP-Brasil iniciou a coleta de informação biométrica em 19 de maio deste ano e em novembro próximo a base de consulta já será utilizada. Nesse caso a segurança está garantida pela forte normatização, homologação de empresas, tecnologia empregada, equipamentos afins, fiscalização e auditorias a níveis nacionais e internacionais, apoiada por uma forte legislação e prática de 20 anos de certificação digital no Brasil, acrescida de carimbos de tempo garantidos pelo ITI, Instituto de Tecnologia da Informação”, explica Cangiano.

Ele acrescenta que com essa base de cidadãos certificados com biometria, a possibilidade de fraudes em vários segmentos da economia tenderá a cair bastante e de forma gradativa. A garantia de interoperabilidade que a ICP-Brasil mantém cronologicamente aferida pela prática adiciona, ainda, um valor agregado inestimável tanto para o cidadão, que com apenas um certificado digital tem acesso a tudo que o utiliza, quanto para os fornecedores de serviços públicos, privados e financeiros que simplesmente não têm custos adicionais, dado que o certificado pertence ao cidadão que usufrui de todos os benefícios. “Com o tempo, chegaremos a um megabanco de dados biométricos que, interligado, irá possibilitar a partir da biometria e da certificação digital acessos seguros a todos os serviços do governo e a bancos privados”, diz o diretor-executivo da ANCD.